Fofuras caninas

Esses dias eu estava conversando pelo msn com minha amiga Cris e falei pra ela que vi aqui na França o trailler de um filme – Bambou – em que a protagonista é uma cadelinha idêntica a sua Samy, que eu conheci no ano passado. Li algumas criticas do filme que não foram la muito positivas. Mas no trailler, parece um filme engraçadinho, sem grandes pretensões. Para os amantes dos bichinhos rirem um pouco e falarem ohhhh, que lindo!

bambou

O filme conta a historia de um casal. O homem, um bancário, sonha em ter filhos. Sua mulher, uma pianista, finge bancar o sonho do marido, mas está mais interessada na carreira. Um dia ela leva uma cachorrinha cocker para casa, o que desagrada o marido, que diz “Primeiro o filho, depois a pelúcia” (pelo menos foi isso que eu entendi no trailler em francês). Depois vem aquelas cenas engraçadas da cachorrinha se adaptando ao ambiente, destruindo tudo e deixando o homem louco. Um dia, a mulher parte numa viagem com a orquestra e se desentende com o marido. Ele fica só, com a desastrada Bambou. E, pelo que pude entender do trailler (veja bem, o roteiro não é dos mais complexos), o homem aprende a amar a cocker, quase como uma filha. A Cris fez um post com um dos traillers, além de uma foto minha com a Samy (sósia da Bambou).

Como no Brasil, muitos franceses de hoje tratam seus bichinhos quase como filhos. Verdade que no Brasil eu ja vi cenas bem exageradas, de madames colocando joias nos cachorros, andando com os bichos em carrinhos, como os de bebê. Tudo isso em Higienopolis, bairro de SP repleto de cachorrinhos de raça e suas donas. Aqui em Paris, vi umas meninas que carregam seus mini-cães na bolsa ou nas mochilas. Fora isso, não vi nada muito bizarro. O que a gente percebe é que os franceses gostam especialmente de cachorros pequenos. Difícil ver um bicho de porte médio e mais raro ver os grandões. Por isso é que eu fiquei tão impressionada com esse cachorro que eu vi no sábado passado às margens do Sena. Era enorme e muito fofo, bem calminho, mas parecia um urso. Achei que era um São Bernardo, mas nunca vi nenhum cachorro dessa raça todo negão desse jeito. Alguém ai entende de cachorro e sabe a raça do meu amigo? Ou era um urso mesmo?

picnique 005

picnique 006

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em franceses, Paris

7 Respostas para “Fofuras caninas

  1. Ana

    Lindo, hein?
    Não é um Setter Irlandês? (o cachorro da minha Barbie era e era a cara desse, só que marrom)

    • Não sei, eu vi fotos do Setter Irlandês que vc falou e achei que ele é mais magro que o cachorro-urso. A não ser que ele seja um que engordou demais:)

  2. essa cachorrinha do filme é uma coisa tão, mas tão meiga. amei a dica, tata. [e o link do blog tá ok, era pra cá mesmo. eu postei o filme no próprio blog, não tá dando pra ver não??] bjs!!

  3. Ana

    Pode ser o cachorro urso um Setter Irlandês GG 🙂

    É que o rostinho parece, os pêlos e as patas também…

  4. Michelle

    Oi Tais,
    Vi seu blog e achei mto legal…
    Tb estou em Paris… e sozinha! Vim a trabalho e ficarei até fim de setembro.
    Entre em contato comigo pelo meu email.
    Bjsss

  5. Talita

    É UM TERRA NOVAAAAAAAA!!!!

    Adoro essa raça, eles são bem parecidos com o São Bernardo, mas são de uma cor só.

    Tenho quase certeza que é.

    Saudades!

    Beijos

  6. mayara lima

    a raça dele é terra nova!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s